A outra margem do cinema tuga!

Novembro 6, 2007 at 11:30 am Deixe um comentário

image2_port.jpg

“A outra margem” é um filme mainstream do cinema português e por isso em vez de pôr referência na página do cinema que ninguém vê resolvi escrever aqui mesmo!Numa altura em que vem para o circuito o filme corrupção, em que acabou de passar por exemplo o capacete dourado surge um outro cinema….o cinema do Luís Filipe Rocha! Habituei-me a ver filmes de criadores portugueses desde sempre e entre um cinema áspero, ininteligível, pastiche e intelectual surgem sempre umas bolhas fúteis contendo a tentativa perversa e nas mais vezes inócua de criação de blockbusters travestidos de produção semi-comercial e semi-desinteressada!

Ora bem eu prefiro sempre os primeiros apesar das criticas que sempre lhes ouço, prefiro porque se consegue acompanhar obra séria, obra de qualidade como por exemplo do Pedro Rocha ou do António Oliveira ou do João Botelho entre tantos outros igualmente bons. Geralmente estes profissionais dedicam-se a um percurso, ao desenvolvimento de um estilo, quase sempre com profundidade e com os anos a passar ganham os seus trabalhos densidade suficiente e assim vão sendo reconhecidos em todo o mundo desenvolvido e por consequência criticados, ignorados ou vagamente tolerados pelas cúpulas de saber da decrepita inteligência nacional e ignorante e volúvel massa critica jornalística.

Existindo os dois polos de produção audiovisual, o intelectual (geralmente ignorado) e o comercial (geralmente flope), existe também justamente o centro, o mainstream e esse tem um nome….chama-se Luis Filipe Rocha!

Eu comecei por ver o Camarate na altura fez-se algum “frisson” ainda antes da estreia por ser um tema quente na sociedade portuguesa, acabou por ser silenciado imediatamente após a estreia porque na realidade a narrativa é séria, as personagens estruturadas a trama interessantíssima e a cadência de acontecimentos óptima é um filme inteiro! Depois vi “A passagem da noite” coma Leonor Seixas a despontar numa performance brutal, um filme sobre a força de carácter, a contradição da vida, uma critica social feroz sem ser declarada e depois a ternura daquele policia, a humanidade daquilo tudo e a passagem ainda antes de tempo sobre o tema dos abortos em parteiras de vão de escada enfim um filme sério.

imagem3_port.jpg

A outra margem é realmente a sequência justa deste trabalho, a performance do Filipe Duarte e simplesmente insuperável, profunda, consistente e suficientemente contida….era fácil cair em over-acting e foi com certeza dificílimo aquela contenção toda e a genuinidade do personagem….parabéns meu!!parabéns mesmo! De resto como já vem sendo hábito todos os personagens em volta do centro da estória são ricos e brilhantemente interpretados, o cinema deste realizador é concreto, é coisa sólida….é cinema que se veja! Sem medo. Começa e acaba sem maniqueísmo nem subterfúgios…é directo e corajoso, simples e profundo e sobretudo é despretensioso! Não vem dar lições de coisa alguma aqui à malta que de vez em quando vê-se no papel pagar 5 euros para levar lições de moral dum gajo qualquer que acha que é mais do que as pessoas para quem devia estar a trabalhar!

Luís Filipe continue a fazer filmes se não se importa, é preciso que isto do bom cinema faça escola pelo mainstream português!!

**imagens retiradas de http://www.clapfilmes.pt/

Entry filed under: arte, art_attack. Tags: .

Protomembrana! onde é que eu já vi isto!?!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Categorias

Blog Stats

  • 62,514 hits

%d bloggers like this: