…amor à pátria!!

Julho 3, 2007 at 6:16 am 3 comentários

pink-floyd1_banda.jpg

…estava a ouvir uma coisa….Roger Watters, bestial.

O gajo foi vocalista dos Pink Floyd logo depois do Sid Barret, já fazia parte da banda e é responsável, para mim claro, pela melhor fase da banda….Wish you were here, dark side of moon, final cut!….são obras imperdiveis.

De resto o “Whish you were here” é dedicado ao Sid barrett que era um compositor super criativo, em plenos anos setenta…andavam os ABBA a vender discos aos pontapés com o “fernando” e o “Chikitita”….andava o Sid Barrette a explorar tendências super inovadoras com musica cada vez mais electrónica!

….era um tipo único e de repente desapareceu sem dar cavaco a niguém…zás, a caminho….partiu ” cento e vinte cinco azul”!

Emergiu mais tarde a produzir os primeiros Deejays americanos, em Los Angeles. Continuou a ser genial, são coisas que não se perdem…e acompanhou os tempos, seguio em frente….sempre lá longe onde os outros não chegam!

sydstudiopiper1.jpg

…com Waters a tendência foi a intervenção, no contexto de guerra fria, fazer da musica uma arma…..as letras são altamente politizadas….inteligentes, acutilantes….os albuns não são conjuntos de canções são uma só coisa feita de transições e valencias.

rogerwaterspaper4.jpg david_gilmour.jpg

Roger Waters e David Gilmour

O tipo da guitarra, o Gilmour, discordou disto e assim que caiu o muro de berlim sentiu-se à vontade para acabar com a missionária vocação do Watters. Meses depois saiu um Volkswagen Golfo com o nome da banda e hoje podemos comprar desde tapetes de rato a canecas com a imagem deles!

Irónico…quem como os pink floyd afirmou”..did they get you to trade your heros for gosts?” ou compôs o “great gig in the sky” ou o “money”, o “southampton docks”…estes gajos fizeram a minha meninice, eu percebia vagamente o conflito do irão com o iraque por isto!…como sabia do ulster por causa dos U2 e de Euskal por causa do Vasco!

pinkfloydwishyouwerehere.jpg

pink_floyd_-_the_final_cut.jpg pink-floyd-dark-side-of-the-moon.jpg

As letras que nós ouviamos eram qualquer coisa como…

“Money, it’s a hit.
Don’t give me that do goody good bullshit.
I’m in the high-fidelity first class traveling seat”

ou então…

Tell me true, tell me why, was Jesus crucified
Is it for this that Daddy died?
Was it for you? Was it me?
Did I watch too much T.V.?
Is that a hint of accusation in your eyes?

What have we done to England?
Should we shout, should we scream
“What happened to the post war dream?”
Oh Maggie, Maggie what have we done?

…sendo que a maggie era a Tatcher!! Agora são uma marca, são vendedores ambulantes…e depois de velhos é que lhes dá para estas coisas!

Enfim…o Watters deve ser comuna, saiu da banda e não desarmou, lançou um album chamado “pros and cos of hitc hiking”, o tema claro….arrivismo e armamento nuclear.

Logo de seguida lançou o album que para mim é o melhor quer na banda quer a solo…o “Radio Kaos” que é a emissão radiofónica dos últimos minutos do planeta, depois de puxarem o botão vermelho das armas nucleares. Está verdadeiramente brutal a sonoridade, as letras, o conceito…tudo bom!

pros.jpg radio-kaos.jpg

É incrivel a actualidade dos temas dele, com o recrudescer dos conflitos locais em todo o mundo, a disputa de fronteiras e a ascenção militarista e imperial dos estados unidos as letras insuflaram de novo…eu deixo aqui uma que me diz imenso, sempre disse…é sobre o direito dos povos á auto determinação, sobre a indignação, sobre a nação e o amor aos nossos irmãos!

Could be Jerusalem Or it could be Cairo
Could be Berlin Or it could be Prague
Could be Moscow Could be New York
Could be Llanelli And it could be Warrington
Could be Warsaw And it could be Moose Jaw

Could be Rome
Everybody got somewhere they call home

When they overrun the defences
A minor invasion put down to expenses

Will you go down to the airport lounge
Will you accept your second class status

A nation of waitresses and waiters
Will you mix their martinis?!?

Will you stand still for it???

Or will you take to the hills


It could be clay And it could be sand
Could be desert Could be a tract of arable land
Could be a house Could be a corner shop
Could be a cabin by a bend in the river
Could be something your old man handed down

Could be something you built on your own… Everybody got something he calls home

When the cowboys and Arabs draw down on each other at noon. In the cool dusty air of the city boardroom

Will you stand by a passive spectator
Of the market dictators

Will you discreetly withdraw
With your ear pressed to the boardroom door
Will you hear when the lion within you roars

Will you take to the hills
Will you stand
Will you stand for it


Could be your father And it could be your mother
Could be your sister Could be your brother
Could be a foreigner Could be a Turk
Could be someone out looking for work
Could be a king Could be the Aga khan
Could be a Vietnam vet with no arms and no legs
Could be a saint Could be a sinner
Could be a loser Or it could be a winner
Could be a banker Could be a baker
Could be a Laker Could be Kareem Abdul Jabar
Could be a male voice choir
Could be a lover Could be a fighter
Could be a super heavyweight
Or it could be something lighter

Could be a cripple
Could be a freak
Could be a wop, gook, geek
Could be a cop
Could be a thief
Could be a family of ten living in one room on relief
Could be our leaders in their concrete tombs
With their tinned food and their silver spoons

Could be the pilot with God on his side
Could be the kid in the middle of the bomb sight
Could be a fanatic
Could be a terrorist

Could be a dentist
Could be a psychiatrist
Could be humble
Could be proud
Could be a face in the crowd


Could be the soldier in the white cravat
Who turns the key in spite of the fact
That this is the end of the cat and mouse
Who dwelt in the house
Where the laughter rang and the tears were spilt
The house that Jack built
Where the laughter rang and the tears were spilt
The house that Jack built
Bang, bang, shoot, shoot
White gloved thumb
Lord thy will be done
He was always a good boy his mother said
He’ll do his duty when he’s grown
Yeah


Everybody’s got someone they call home

…é isto!….a minha chama-se matilde…e é traquinas!

PMC

Anúncios

Entry filed under: escrever por escrever, Jornadas e descaminhos, posts do curto-te_bué.

…amor de tudo! às voltas com a arte e os oficios!! – 1

3 comentários Add your own

  • 1. phillipevieira  |  Julho 20, 2007 às 11:04 am

    não pude deixar de ler o post e apesar de congratular a ideia e o elogio aos Pink Floyd, há algumas imprecisões que precisam desesperademente de ser corrigidas.

    “O gajo foi vocalista dos Pink Floyd logo depois do Sid Barret”
    o ‘gajo’ nunca foi o vocalista. as tarefas de voz eram divididas entre ele, gilmour e wright. aliás, dark side of the moon é disso um exemplo perfeito: temos gilmour, wright, gilmour e wright, waters por esta ordem. as suas funções eram de baixista, letrista e co-produtor. claro que se poderia argumentar que em dado momento – Wall e Final Cut – waters tomou conta de todo o processo. mas em cada um desses álbuns há vocalizações de gilmour. brilhantes, diga-se.

    “em plenos anos setenta”
    barret deixou o grupo em 1969, antes do lançamento de ‘A Sourcerful fo Secrets’. Teve uma brevíssima carreira a solo, com álbuns produzidos por Gilmour, Waters e Wright. Em 1971 voltou a Cambridge e por lá ficou a viver com a mãe até à sua morte o ano passado. Deixou de usar o nome ‘syd’ e passou a usar o seu nome civil: roger barret.por isso, a sua inovadora carreira musical nunca aconteceu em plenos anos 70.

    “Emergiu mais tarde a produzir os primeiros Deejays americanos, em Los Angeles.”
    esta, sinceramente, não sei de onde veio. mas não me parece que um esquizofrénico e eremita fosse produzir Dj’s para os EUA. aliás, a sua única visita oficial aos EUA foi com o grupo em 1967 e as coisas não correram muito bem. o ácidotem desses efeitos.

    “no contexto de guerra fria”
    não deixando de ser verdade, a principal arma motora de Waters era a raiva pela morte do pai na II Guerra Mundial. Essa morte, estúpida e desnecessária, impediu-o de conhecer o pai. isso associado a questões políticas, educativas e da própria vida de artista levaram-no a escrever algumas coisas lindas – recomendo “Animals”, 1977.

    “O tipo da guitarra, o Gilmour, discordou disto e assim que caiu o muro de berlim sentiu-se à vontade para acabar com a missionária vocação do Watters. Meses depois saiu um Volkswagen Golfo com o nome da banda e hoje podemos comprar desde tapetes de rato a canecas com a imagem deles!”
    este parágrafo é muito mau…depois de Final Cut – lançado em 1983-os elementos do grupo – já só eram 3-decidiram fazer uma pausa e ver o que fariam no futuro. é em 1985, após tanto Waters como Gilmour terem lançado álbuns a solo que sa dá a famosa reunião em que Waters e Gimour se desentendem por fim, motivando que Gilmour assuma a banda e convoque Wright para reintegrar a mesma. Waters fica possesso e processa os 3 pela propriedade do nome da banda. perdeu. continuou a sua sólida carreira a solo, enquanto os outros continuaram como trio.em 1987 sai ‘A Momentary Lapse of Reason’, primeiro álbum pós-waters. como vê, bem antes da queda do muro. a alteração na ideologia da banda foi, também, natural. gilmour nunca escondeu que é um compositor diferente de waters e que sem ele o processo criativo era diferente. se consultar os 2 álbuns pós-Waters reparará que em termo de letra, gilmour assina muito poucas músicas. Os Pink Floyd eram das maiores bandas do Mundo e decidiram abrir-se mais aos fãs. Não sei se sabe, mas por altura, por exemplo do The Wall, houve um forte investimento no merchandising. recordo-me até de alguns óculos em formato ‘muro’. Não vejo como a qualidade de uma banda se pode medir pelos produtos que se vendem em seu nome. os metallica são vendidos? já agora, waters poderai pretender ser tudo menos um missionário!

    “Irónico…quem como os pink floyd afirmou”..did they get you to trade your heros for gosts?” ou compôs o “great gig in the sky” ou o “money”, o “southampton docks”…”
    não acho nada irónico. desde dark side os floyd apostaram nos mega-concertos. p.e. a realização de The Wall era tão complexa que fizeram apenas uma mão cheia de concertos para promover o álbum, entre Londres e L.A. e, se for ver a biografia da banda, verá que o álbum Wish You Were Here, para além de lamentar a perda de Syd, lamenta também a perda da união do grupo. com o sucesso monstruoso de Dark Side of the Moon, o grupo perdeu-se um pouco. o próprio waters refere que “enquanto bando de irmãos, estavamos acabados”. por isso, essa faixa, e esse verso, tem uma função catártica. é o próprio waters a perguntar – de forma claramente retórica – se o grupo se havia ‘vendido’.

    “sendo que a maggie era a Tatcher!! Agora são uma marca, são vendedores ambulantes…e depois de velhos é que lhes dá para estas coisas!

    Enfim…o Watters deve ser comuna, saiu da banda e não desarmou, lançou um album chamado “pros and cos of hitc hiking”, o tema claro….arrivismo e armamento nuclear.”
    meu amigo, quem conhecer a carreira dos floyd sabe que eles de vendedores ambulantes não têm nada. absolutamente nada.
    mais uma vez, precisão: “pros and cons…”saiu antes da partida oficial de waters do grupo. radio k.a.o.s sim, esse sim é contemporâneo de todo esse período. porém, o meu favorito é mesmo “Amused to Death” – aconselho a sua audição.

    não pense que estou a ser rude. os Pink Floyd são a minha banda favorita e não resisti à tentação de dar umas correcções ao seu conhecimento “floydiano”. para mais esclarecimentos, aconselho o livro de Nick Mason – “Inside Out” – os documentários “The Pink Floyd and Syd Barret story” e “Monsters of Rock: Pink Floyd”, para nã falar no mais velho “Pompeii” e nos dvd’s que apresentam o ‘backstage’ na criação de Dark Side, Wish you were here e The Wall.

    Responder
  • 2. pedromoraiscardoso  |  Julho 20, 2007 às 12:48 pm

    caro philip;

    ….voçê esmagou um ideal!!….andei eu anos a construir esta ideia romantica e……zás, num comentário esclarecido e cheio de provas irrefutáveis voçê deu conta da minha vaga construção!

    ….enfim…..graças a deus que o fez porque adoro aprender coisas novas e não gosto de falar barato.

    Em minha defesa conta pelo menos o pormenor de que eu não me responsabilizo pelas palermices que escrevo…é isso que chamo esperar por godot!…além do mais só queria mesmo postar a letra do Home, por causa dessa força indestrutivel que é o direito á auto-determinação.

    Quanto a ser rude….não se preocupe que aqui somos todos da geração do oleo de figado de bacalhau….azedos e saudáveis!!

    bem haja.

    Responder
  • 3. alex ferreira dos santos  |  Janeiro 6, 2008 às 2:28 am

    caralho, esaa banda é tudo de bom…………….a melhor do mundo…

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Categorias

Blog Stats

  • 64,771 hits

%d bloggers like this: